sábado, agosto 26, 2006

Regressei a este mundo...



















Nas ondas do tempo sinto a realidade ausente... como um destino visto do avesso, do qual só o negro sobressai reluzindo.
O regresso a este mundo... mostrou-me recantos que estavam escondidos... páginas reais no tempo alheio ao meu tempo.
O silêncio chegou, com ele uma história sem um fim... ou nunca foi história??
Junto os pedaços feitos por sequências de letras encaixadas nas mensagens vagas... tortura de um português onde cada palavra verte sentidos como afluentes de um rio, sigo a corrente mergulhando sem saber onde vou parar... apenas o gelo revela a verdadeira essência de tudo... Não... Não sou um objecto que anda à deriva, mas sim a razão de ser muito mais... Cansei o tempo e faço da espera o único motivo do meu ser... quero que me vejam no meu valor... As palavras existem para ser usadas.

1 comentário:

Ares disse...

O problema é conseguirem VER-TE como és e aquilo que vais sendo. As pessoas geralmente ficam-se pelos olhares e pelas aparências. Mas esquecem-se que as aparências não passam de paredes que, tarde ou cedo, acabarão por nos/lhes cair em cima.